SEGUNDAS CHANCES

Comumente usamos as expressões “não sabemos o dia de amanhã” e “precisamos nos dedicar mais a aqueles que amamos e ao que nos dá prazer”. Porém, com a mesma frequência que dizemos isso, deixamos o turbilhão do mundo moderno nos atropelar e perdemos o protagonismo das nossas próprias decisões e vontades verdadeiras. E mais comum ainda é só tomarmos consciência disso quando algo muito adverso e muitas vezes irreversível nos acontece, nos abrigando a realmente repensar nosso caminho e escolhas (ou a falta delas). Mas que bom que existem segundas chances.

Uma certa vez mencionei que era meu segundo casamento e fui corrigida pelo meu noivo que disse que não era meu segundo casamento e sim o meu casamento com ele.  Mas a verdade é que sorte a dele de ser o meu segundo casamento. Que sorte que a vida nos dá segundas chances para tentarmos fazer certo o que já deu errado depois de termos aprendido com nossos erros. Que sorte que nossa mente tende a esquecer as coisas ruins e nos permite reconstruir com base nos nossos aprendizados e nos dá fé para acreditar que podemos fazer escolhas, cair e levantar de novo.

E que bom que existem “segundas chances” para trocar de carreira. Que o conhecimento não tem limite e que a maturidade nos tira da zona de conforto para ver que trabalhar não se resume à recompensa financeira. Que muito mais importante que o dinheiro é se ter um propósito e satisfação no que se realiza. E que a vida está aí, linda e sorrindo para quem quiser encará-la dessa forma.

E, fundamentada nessa crença, hoje a minha “segunda chance” é trabalhar ajudando pessoas a acharem as oportunidades delas nesse quesito e tentarem por quantas vezes for preciso até se sentirem realizadas. É uma jornada encantadora que não poderia me deixar mais realizada.

Vamos buscar quantas “segundas chances” forem necessárias, pois só assim seremos protagonistas das nossas vidas e seremos legitimamente felizes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *