O IMPACTO DA CONCORRÊNCIA SOBRE O ESFORÇO DE MARCA

Há poucos meses atrás assisti uma palestra do jornalista Ricardo Amorim. Com uma didática que facilita bastante o entendimento, não posso dizer que foi apresentado conteúdo muito inovador, mas ele teve a habilidade de ligar alguns pontos que me fez refletir por muito tempo mesmo após o termino de sua fala.

Em um dos slides ele mostrou apenas um gráfico de uma curva que, até quase o final da pagina seguia com uma inclinação bem leve e de repente subiu como um foguete em lançamento. Trata-se da curva de inovação dos últimos séculos. O que até pouquíssimas décadas atrás levava-se séculos (no sentido literal da palavra) para se evoluir, atualmente é necessário poucos anos para que algo ou alguém se torne obsoleto e seja substituído por uma nova tecnologia ou profissional.

Vamos voltar no tempo para o ano de 1899, mais exatamente no Sul da Alemanha. A Daimler-Motoren-Gesellschaft fechava a venda de um lote gigantesco de 36 carros para o então milionário Emil Jellinek com a condição que a marca do carro passasse a se chamar Mecedes. Unindo-se o nome do fundador da empresa, Benz, surge uma marca que hoje custa US$ 47,8 bilhões.

Se observarmos mais a fundo a Mercedes não precisou fazer nenhum estudo de marca, de publico alvo, de diferencial da marca. Sabe por que? Porque não havia concorrência. Era a única empresa capaz de produzir carros de quatro rodas movido a motor que era uma necessidade latente de transporte e que só eles até o momento supriam.

Imaginemos agora nessa mesma cidade do sul da Alemanha um médico qualquer. Seu nome possivelmente não era lembrado por todos, mas sua profissão com certeza. Em caso de necessidade dizia-se: “liguem para o medico”. Talvez não era o único doutor na região, mas devia dividir com poucos outros a tarefa de conhecer o corpo humano todo e atender todas as patologias que surgiam, com os poucos recursos que existia naquela época.

Voltamos aos tempos atuais. A Mercedes-Benz continua uma das marcas globais mais conhecidas. Não foi por força do acaso e sim consequência de trabalho árduo, e um excelente trabalho estratégico da marca. Com o crescente acesso da população a carros motorizados, diferentes necessidades foram surgindo e com isso produtos diferenciados para cada perfil de públicos foram desenvolvidos pela empresa, resultado de muita pesquisa. Focando nas classes de alto poder aquisitivo, algumas linhas foram cridas para atender as necessidades especificas de homens, mulheres e mais atualmente um público mas jovem. E sempre mantendo os atributos que os diferenciam da concorrência: luxo, segurança e sofisticação. Cada linha recebeu um nome diferente e uma estratégia de comunicação especifica que ressalta as necessidades de cada publico.

E o que “causou” toda essa mudança na atuação da empresa no mercado? A concorrência. Hoje existem opções e aquele que conseguir posicionar melhor seu produto de acordo com o seu público, mostrar seus atributos da melhor forma terá a prioridade na atenção do seu consumidor target.
E isso não se aplica apenas a produtos. O mesmo vale para os profissionais atuantes no mercado de trabalho.

Votemos ao médico que citamos no inicio do texto e imaginemos um profissional da mesma área no sul da Alemanha. Com o avanço da tecnologia medica e o aumento do conhecimento de medicina, os médicos, no mundo todo, se tornaram cada vez mais, não apenas especializados em um determinado sistema do corpo, mas em sub especializações derivadas dentro do sistema de atuação. Para um médico conseguir se destacar além de possuir as qualificações em si, é necessário saber comunicar bem suas habilidades, seus diferenciais perante outros médicos e conhecer bem o público que atende. Além de se manter constantemente atualizado. E isso podemos chamar de ter conhecimento e saber gerir bem sua Marca Pessoal para se destacar da concorrência.

Como mencionado no inicio do texto o mundo está girando cada vez mais rápido e ter conhecimento sobre si próprio, como profissional, não é mais um luxo e sim uma necessidade de sobrevivência num mercado que cada vez está mais exigente. Não é uma exclusividade do mercado de consumo. As mesmas “regras” se aplicam aos profissionais independente do perfil de atuação, sejam eles, profissionais liberais, empresários, empreendedores ou executivos.

É fundamental para sobrevivência saber responder o que o mercado pensa de você? Quais habilidades você tem que o diferencia dos seus concorrentes? Você está comunicando corretamente?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *