O QUE VOCÊ RESPONDE QUANDO ALGUÉM PERGUNTA O QUE VOCÊ FAZ?

Profissional mulher apoiada em sua mesa de escritório, segurando um café e olhando para a câmera

Quando você conhece alguém e essa pessoa pergunta “o que você faz?”, o que você responde? Se você for como a grande maioria das pessoas, provavelmente sua resposta seja algo relacionado ao seu cargo, sua área de trabalho, ou, se você trabalha no mundo corporativo, ao nome da empresa aonde você trabalha… Pois é nesse exato momento que você, mesmo sem saber, se coloca como um profissional genérico, se posicionando como intercambiável com qualquer outro profissional em sua mesma área de atuação! Esse é um belo exemplo pra você entender porque precisa de uma Marca Pessoal.

 

Você não precisa se definir pelo seu cargo, você não está confinado a nenhuma empresa e você não se equivale à descrição do seu trabalho. Existe uma forma de fazer diferente, dando voz ativa à sua Marca Pessoal, planejando estrategicamente sua proposta de valor, com um caráter pessoal e intransferível. Uma Marca Pessoal combina e comunica, de forma única, o mix de características, os valores, as habilidades e experiências de seu dono. Uma Marca Pessoal bem planejada tem o poder de diferenciar seu dono da concorrência e construir sua autoridade e credibilidade, com impacto direto no avanço de sua carreira. Toda Marca Pessoal tem uma proposta de valor focada em seu público-alvo, respondendo a seguinte pergunta: que problema ela resolve ou que oportunidade ela detecta. E é nessa proposta que está a resposta ao título deste artigo: um cargo apenas descreve o que a pessoa faz, uma Marca Pessoal fala sobre quem ela é, e comunica o que a diferencia e torna única.

 

Por exemplo:

Se a pessoa trabalha como Diretora de RH e responde “Sou uma Diretora de RH”, ela e mais milhões de outros Diretores de RH poderiam estar respondendo exatamente a mesma coisa. Ao responder assim, ela se considera um cargo, e por isso mesmo não implica ser exclusiva para seus clientes/ empregador. Ao contrário, se posicionando com sua Marca Pessoal, ela poderia dizer “Construo times e ambientes organizacionais excelentes para se trabalhar.” Essa especificidade na resposta e a clareza com que ela comunica, com relevância, a experiência que ela entrega, faz toda a diferença para essa profissional deixar de ser genérica e intercambiável com qualquer outro Diretor de RH.

 

Gosto muito de uma citação do Jeff Bezos, CEO da Amazon, que diz que “Marca Pessoal é o que dizem de você quando você não está na sala.” É exatamente isso, uma Marca Pessoal não se constrói, porque todos já têm uma, mas você pode planejar a sua. E isso demanda muito autoconhecimento para identificar os melhores atributos que ajudarão você a atingir seus objetivos, e, numa fase posterior, chamada de Personal Branding, que nada mais é do que a gestão de sua Marca, você deverá cuidar  ativamente de tudo o que faz – e tudo que escolhe não fazer – de forma a comunicá-la consistentemente.

 

Planejar sua Marca Pessoal e trabalhar em sua gestão é um passo para distinguir-se de seus concorrentes, assumir o controle de sua carreira e avançar na direção de seus objetivos. É um trabalho que vale a pena, independentemente do seu setor ou status profissional!

Fica o convite à reflexão!

 

Nora Mirazon Machado é Administradora de Empresas pelo Mackenzie, com MBA em marketing pela FGV e especializada em liderança pela Harvard Business School. Tem 25 anos de experiência como executiva de Marketing e atuou em empresas renomadas como Pepsico, Adams e Danone. Após deixar o mercado corporativo, decidiu dedicar sua experiência para orientar profissionais na gestão mais consciente e estratégica de suas carreiras. Empreendeu, fundando, com as sócias Silvia Berger e Mônica Camargo Tracanella, a Trilogie, empresa de Branding e Carreira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *