PALCO DA VIDA

Dezembro.
Mês das apresentações de final de ano das atividades dos filhos.
Estava eu, pacientemente aguardando a vez da minha filha se apresentar com seu grupo uniformizado
Me concentrando para nos 3 minutos da música encontrá-la no meio de 25 meninas com o mesmo rabo-de-cavalo e mesma fantasia.
Antes do grupo de 11 anos que eu esperava entrou esse grupo.
O teatro por um tempo ficou em silencio, todos assistindo como se cada um deles fossem nossos próprios avós.
Dançavam e cantavam a música judaica que dava o ritmo da coreografia.
Coreografia essa que foi adaptada para que acompanhassem e pudessem brilhar no palco sem se comprometerem.
No braço de poucos se via um número. Um número que conta a história deles. Um número que conta a minha história.
E ficou clara a alegria e o sorriso deles.
Ficou claro o porquê estavam ali, vivendo intensamente enquanto a saúde os permite.
Ficou claro a importância que isso tinha para a vida deles.
Era a dança que os permitia ser feliz até o último minuto.
Sem se preocupar com julgamentos, vivendo intensamente.
Ter um propósito para acordar a cada dia e comemorar a vida.
Ter um propósito que os motiva a subir no palco e fazerem o que os faz feliz.
E é esse propósito que os move.
E é o propósito que nos move.
E o que te move?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *